Páginas

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Rameau por Marcelle Meyer (1953): Suítes e Peças de Concerto completas

C. N.

 

O compositor francês Jean-Philippe Rameau (Dijon,1683-Paris, 1764) foi, junto com Johann Sebastian Bach, o aperfeiçoador do sistema temperado (vide O que é o Sistema Temperado). Não tem a altura do alemão; mas, se se excetua o ápice que são as Partitas bachianas, pode dizer-se que a obra de Rameau para cravo ombreia com a daquele. Pois bem, o que aqui oferecemos é uma magnífica interpretação das Suítes e Peças de Concerto completas de Rameau. Sem equiparar-se a Glenn Gould, Marcelle Meyer mostra-se, porém, muito acima da grande maioria dos pianistas na execução do barroco musical. – Diga-se, por fim: uma vez mais, mostra-se a incalculável superioridade do piano sobre o cravo. Como o cravo nos poderia proporcionar toda a projeção de harmônicos que Meyer extrai destas belíssimas peças de Rameau e toda a dinâmica que ela lhes imprime?    

 

terça-feira, 10 de junho de 2014

Frases desse artista maior que é Arvo Pärt



• “Eu trabalho com muito poucos elementos – uma ou duas vozes somente. Construo a partir de um material primitivo: o acorde perfeito, uma tonalidade específica. As três notas de um acorde perfeito são como sinos. É esta a razão por que o chamei tintinnabulum.”
• “Em meu primeiro período [o serialista ou atonal, renegado], eu escrevia música em que muitas notas eram lançadas na página. Não as guardava como a tesouros. Não as tinha, uma após outra, nas mãos. Mas cada nota é determinante, reveladora.” 
     • “[A voz humana] é o mais perfeito dos instrumentos. São as palavras o que oferece o impulso criativo da música [...].”
• “O canto gregoriano ensinou-me que um segredo cósmico se oculta na arte de unir duas ou três notas.”
• “Se alguém busca compreender-me, deve escutar minha música. Se busca conhecer minha filosofia, deverá então ler qualquer dos Padres da Igreja. Se deseja conhecer minha vida, há coisas que quero manter secretas.”
• “Meu novo estilo [ou seja, depois da fase serialista e atonal inicial] é simples. Uma linha é a de meus pecados, enquanto a outra é a do perdão: uma voz é mais complexa e subjetiva, enquanto a outra é clara, simples e objetiva.”
• “Tenho necessidade de retirar-me e de descrever algo objetivo. Quanto mais somos projetados no caos, tanto mais temos necessidade de aferrar-nos à ordem.”  

Veni Creator Spiritus - Canto Gregoriano: Música como nenhuma outra


quarta-feira, 4 de junho de 2014

Stephen Hough plays Prélude, Choral et Fugue by César Franck


ST-SULPICE IN PARIS: XAVER VARNUS PLAYS FRANCK ON THE GREAT CAVAILLE-COL...


ST-SULPICE IN PARIS: XAVER VARNUS PLAYS FRANCK ON THE GREAT CAVAILLE-COL...


César Franck - Violin Sonata in A Major (Complete)


XAVER VARNUS PLAYS CESAR FRANCK'S THIRD CHORAL ON THE GUILLOU-ORGAN IN A...


XAVER VARNUS PLAYS HIS HOME ORGAN: TWO SHORT PIECES BY CESAR FRANCK